CAFÉ COM ERP: Reveja as Suas Expectativas



Adoro música, confesso que apesar de ter um gosto relativamente eclético por músicas, sou um grande admirador de tudo que foi produzido nos anos 80. E em 1987, os Titãs lançaram a música “Comida”, cuja a letra já foi utilizada em várias atividades acadêmicas em muitos lugares no mundo.

Um dos pontos mais significativos desta música é a ênfase em três pontos: “desejo, necessidade e vontade”.

Todos nós que vivemos no mundo empresarial acreditamos que os fatores lógicos e as análises frias das situações são os mantenedores das evoluções das empresas, mas a ciência já vem provando há algum tempo que desejo, necessidade e vontade são as verdadeiras alavancas de tudo… ou são as origens dos grandes problemas.

Nos projetos de ERP isso não é diferente. Todos que estão envolvidos no projeto tem expectativas, sendo as mesmas geradas pelos seus desejos pessoais ou profissionais, necessidades de competitividade corporativa ou de resultados pessoais ou algo mais pessoal, gerado pela vontade de conseguir sucesso (ou promover o fracasso) do ERP nas operações.

Nessas décadas que já caminhei no mundo corporativo, eu tive a oportunidade de ver gestores de empresas com os mais variados posicionamentos em relação ao seu projeto de ERP. Alguns queriam que todo o projeto ocorresse em no máximo 2 meses (mas não queriam alocar quase ninguém da equipe), outros tinham o sonho que a implantação do ERP iria reduzir 50% do quadro de pessoal dele (alguns o quadro até cresceu), outros acreditavam que o ERP iria trazer todas as respostas às perguntas que eles tinham (e eles nem sabiam muito bem quais eram as perguntas) e tinham outros que queriam que tudo funcionasse o mais básico possível (mesmo tendo muito mais recursos disponíveis).

Em poucos casos eu consegui ver uma razoabilidade entre as expectativas (modeladas pelos desejos, necessidades e vontades) dos gestores em relação a tudo que está compondo o seu projeto de ERP.

Quando as expectativas são exageradas, metas inatingíveis são definidas e a equipe, em todos os níveis, fica num alto nível de stress, gerando atritos desnecessários e decisões errôneas são tomadas. E isso ocorre com todos os níveis gerenciais da empresa. Você pode ter uma Diretoria sensata, mas ter um gerente de área pressionando demais as suas equipes.

Da mesma forma, quando as expectativas são baixas demais, o projeto de ERP pode fluir sem grandes problemas, mas os resultados gerados são muito abaixo do que é possível. Num determinado projeto, o diretor da empresa me disse que queria que o ERP novo só fizesse exatamente igual a tudo que o ERP antigo fazia, porque ele só queria que todos os dados ficassem num sistema que ele pudesse confiar que não fosse travar… quantas possibilidades foram perdidas ali!!!

O Gerente do Projeto de ERP tem que ter a capacidade de entender as expectativas expostas e as que estão guardadas nas cabeças das pessoas e conseguir realinha-las com as possibilidades.

Essa é uma habilidade muito difícil, que vai demandar tempo e energia para mapear tudo que está acontecendo e convencer as pessoas a seguirem um caminho mais apropriado.

Desejos + Necessidades + Vontades = Expectativas

Expectativas Certas = Direcionamento Para o Sucesso = Alinhamento de Possibilidades

Agora separe um tempo e reveja as suas expectativas.

Análise 01: Dentro do corpo gerencial da sua empresa, tem pessoas com expectativas absurdas ou defasadas demais em relação ao projeto de ERP? Como você sabe disso? Se tem, o que você vai fazer a respeito?

Análise 02: O seu processo de venda do ERP tem ações modeladas para realinhar expectativas inadequadas dos potenciais clientes? E no seu processo de Implantação do ERP, tem medidas para mitigar esses tipos de expectativas?

Mãos e mentes à obra!!!


Mauro Oliveira


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Falando Sobre... Fluxo de Caixa e os ERP

Falando Sobre... Tesouraria e os ERP

ERP EM GOTAS: Desenvolver ERP sob encomenda é para poucos