CAFÉ COM ERP: Os Meus, Os Seus e Os Nossos



Da mesma forma que um casamento de duas pessoas, ambos com o signo de Áries e com ascendente em Capricórnio, as Fusões e Aquisições de empresas geram diversas zonas de atritos entre as empresas envolvidas... e o ERP certamente é um assunto que o "casal" tem que discutir na relação.

Vamos manter ERP diferentes nas empresas? Vamos manter o ERP melhor e ampliar o seu uso? Qual é o ERP melhor neste caso? Vamos trocar por outro ERP completamente diferente?

Nenhuma decisão relacionada ao ERP é tranquila e quando você junta o fato de serem empresas diferentes, com culturas diferentes e num clima de grandes atritos e incertezas isso potencializa ainda mais o "frio na espinha" da equipe encarregada da decisão.

Vamos falar um pouco sobre as possibilidades:

01) Empresa média/grande com um bom ERP implantado compra empresa menor com um ERP mediano.

Esse é o melhor dos mundos, porque a ordem natural é a substituição do ERP da empresa que foi comprada, onde pouca ou nenhuma discussão vai ocorrer, entretanto, alguns pontos precisam ser vistos:
=> Quem vai pagar a conta?
=> O investimento pode ser absorvido pelas operações?
=> A empresa está em condições humanas e operativas para enfrentar um projeto de ERP agora?

02) Empresas de porte e segmentos iguais se fundem e os seus ERP são adequados e estão bem implantados

Nesse caso vivenciamos uma crise de poder na administração resultante e as vezes a definição de qual ERP utilizar passa a ser moeda de troca na mesa de negociações... depois dessa "decisão" é que os aspectos técnicos e financeiros são realmente vistos.

03) Empresa bem capitalizada, mas com um ERP ruim compra empresa do mesmo segmento e do mesmo porte com um bom ERP

Se não houver humildade e compreensão nesse momento a equipe gestora não vai ver de forma apropriada as potencialidades do ERP da empresas comprada... o ERP é também um ativo dentro do conjunto comprado, e pode fazer com que os gestores associem a baixa performance financeira da empresa com a qualidade do ERP, mesmo estando visível que não tem ligação entre os casos.

04) Empresa de um determinado segmento com um bom ERP compra outra empresa de outro segmento com um bom ERP verticalizado

É natural que a empresa compradora queira, de dentro do seu ERP, saber e controlar tudo que acontece com a empresa comprada, mas, neste caso, isso deve ocorrer mantendo, pelo menos, as regras de negócio principais da empresa comprada e dentro do ERP dela.

Os pontos acima não esgotam as possibilidades de opções em relação aos ERP dentro de uma Fusão e Aquisição de empresas, mas dá uma ideia de que precisa ser alocada atenção para isso.


Sem sombras de dúvida, indiferente dos portes dos segmentos das empresas envolvidas no processo de Fusão e Aquisição, esse projeto sempre é um bom desafio... não é um jogo para amadores.


Análise 01: Estou passando por um processo de Fusão e Aquisição de empresas e como o meu ERP está posicionado nisso? Qual o ERP da outra empresa? Quais são os interesses dos gestores da empresa? Você precisa ter as informações apropriadas para tomar uma posição, e depois se preparar para defender a posição tomada.


Análise 02: Um cliente meu está passando por um processo de Fusão e Aquisição e gostaria muito que o meu ERP continuasse a operar com eles. Como posso ser pró-ativo nesta situação? Qual o meu plano de ação? Tente entender o cenário envolvido e os interesses de todos, monte um projeto atrativo e venda-o para os gestores.
Mãos e mentes à obra!!!




Mauro Oliveira


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Falando Sobre... ERP Desenvolvido Sob Encomenda

Falando Sobre... ROI dos ERP

Falando Sobre... Fluxo de Caixa e os ERP